Pedro Pinho

Ocupação na Indústria: Realizador

Nacionalidade: Português

Principais trabalhos: As Cidades e as Trocas (2014) e A Fábrica de Nada (2017)

Principais prémios e nomeações: Vencedor do prémio FIPRESCI na quinzena dos realizadores do Festival de Cannes por A Fábrica de Nada (2017)

 

Pedro Pinho estudou cinema e viveu entre Lisboa, Paris, Barcelona, Maputo e Mindelo. 

O seu primeiro documentário, BAB SEBTA (co-realizado com Frederico Lobo), estreou no FID Marseille 2008, onde foi premiado com o Prémio Marseille Esperance. Bab Sebta venceu ainda os prémios de Melhor Filme no DocLisboa e no ForumDoc BH (Brasil).

UM FIM DO MUNDO, uma média de ficção, estreou no Festival de Berlim em 2013, tendo sido premiado no Caminhos do Cinema Português e nomeado para os Globos de Ouro.

O documentário AS CIDADES E AS TROCAS (co-realizado com Luisa Homem) estreou em 2014 no FID Marseille e foi mostrado no Art of The Real do Lincoln Center em NY e no DocLisboa.

Em 2017 estreou na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes A FÁBRICA DE NADA, a sua primeira longa-metragem de ficção, onde ganhou o prémio FIPRESCI da Crítica Internacional.

Em 2009 criou com outros cinco cineastas a Terratreme, colectivo que nos últimos anos se tem afirmado como uma das mais activas produtoras do cinema português. Ali teve a oportunidade de colaborar com outros realizadores como Luisa Homem, Leonor Noivo, Tiago Hespanha, Susana Nobre, João Salaviza, Filipa Reis e João Miller Guerra, ou Basil da Cunha.