NEXXT #5

Competição Académica

07 Out // 16h00

Spatium Room

__

 

| Matadoras |

Duas irmãs argentino-alemãs ultrapassam o mundo construído pelos adultos. A operação adolescência começa. O batismo para uma nova vida acontece na banheira da casa, a Madona é lavada, e um grupo de meninas da igreja dança pelo declínio da infância. A improvável heroína Madi cresce em direção à luz. Crescer é extremamente brilhante.

 

| Meu Castelo, Minha Casa |

Guilherme é intimidado pelo seu treinador de ténis e por criaturas estranhas com mãos de raquete. Perseguem-no pelos corredores da sua casa, que se transformou num labirinto. Na fuga, Guilherme procura a mãe, acreditando que ela é a única que pode acabar com o seu tormento. Uma reflexão sobre as relações entre pais e filhos, o que um espera do outro, e como essas pressões se podem tornar um tormento.

 

| Semear, Ouvir, Fluir |

Semear, Ouvir, Fluir é uma viagem contemplativa pela beleza do mundo por meio de uma montagem de texturas e da exploração plástica da imagem. Nomeados para Best First Film no Festival DocLisboa e vendedores da categoria Experimental Short dos Portuguese Film Academy Sophia Student Awards, estes são breves vislumbres de sonhos quase reais através de um olhar apaixonado e sensível do cosmos.

 

| In Shallow Water |

Primeiro, uma simples reportagem sobre tanques de reprodução, depois uma alegoria sobre a liberdade. Na curta In Shallow Waters, carpas são capturadas por prisioneiros para acabar em mesas de Natal. São apenas números na escala de peso, assim como os indivíduos que as capturam. Rostos que já não podem ser reconhecidos, mas vozes que permanecem. Um olhar atento sobre o significado de liberdade e identidade. Poderá a dívida para com a sociedade ser resgatada através da tristeza?

 

| I Don't Feel At Home Anywhere Anymore |

Com uma menção especial no IDFA em Amsterdão, I Don't Feel At Home Anywhere Anymore teve a sua estreia na Ásia no Beijing International Short Film Festival. Oferece u relato melancólico, mas humoroso, de uma viagem a Pequim por uma estudante de arte que tem estado fora do seu país há já dez anos. A sua estadia com sua família expõe impiedosamente o quão desenraizada ela se tornou depois de anos no estrangeiro. Terá a escolha de partir todos aqueles anos atrás valido a pena?

 

| Space is Quite a Lot of Things |

Space Is Quite a Lot of Things teve a sua estreia mundial no Huesca International Film Festival em Espanha. Explora a curiosidade em torno da existência de um mundo sem géneros e cria espaço para quatro pessoas trans compartilharem como se relacionam (ou não) com seu próprio género, imaginarem visões da sua própria utopia queer e revelarem se o género pode ser sentido nos dedos dos pés.

 

| Pile |

Água e depois comida. Agricultura e depois indústria. Velho e depois novo. Crítico para extra. Simples ao complexo. Concreto para abstrato. Terra para nuvens. Real para irreal. Pile desconstrói a evolução da sociedade humana em três instigantes minutos animados. Desde a sua estreia, foi selecionado para vários festivais e recebeu imensas menções honorárias, incluindo Best Experimental Short no Santa Fe Independent Film Festival e Best Animation no Fort Lauderdale.

 

| Avant |

Avant baseia-se tanto musical como visualmente na descoberta de experiências através da experimentação. Marcell Mostoha trabalha com formas e suas interações com o espaço, com o estado de descanso e agitação, e como a transições entre os mesmos formam uma estrutura emoldurada. A sua curta de animação não contém um enredo específico, mas retorna repetidamente a motivos fixos que cruzam fronteiras apenas para depois regressar a elas. Esta dualidade hipnotizante baseada na repetição cria uma intemporalidade constante, ilustrando as mudanças recorrentes através de animações tradicionais de desenhos à mão.

 

← Programa de Cinema

Próxima Sessão →