Gary Yershon

Ocupação na indústria: Compositor

Nacionalidade: Britânica

Principais Trabalhos: "Topsy-Turvy" (1999) e "Mr Turner" (2014).

Principais Prémios e Nomeações: Nomeado a Óscar de Melhor Trilha Sonora Original por “Mr Turner” (2014)

A carreira de Gary como compositor para dramas já tem mais de 40 anos e abrange trilhas para as principais companhias de teatro do Reino Unido, produções de West End e de Broadway, rádio, televisão e cinema.

Gary nasceu em Londres, em 1954. Após se formar na Universidade de Hull, onde leu Música e Drama, manteve uma carreira como ator-músico até 1991, quando desistiu dos holofotes para se focar principalmente na composição.

As suas composições de teatro incluem muitas para a Royal Shakespeare Company (onde é Artista Associado), o Teatro Nacional, West End (incluindo as estreias em língua inglesa das peças de Yasmina Reza Art, sendo estas The Unexpected Man, Life x 3 e God of Carnage) e Broadway (nomeado em 2009 ao Drama Desk por The Norman Conquests). Em 2016, tornou-se Artista Associado da Companhia de Teatro Old Vic.

O seu trabalho no cinema tem sido para Mike Leigh. Esta colaboração começou com "Topsy-Turvy" (1999), na qual Gary foi Diretor Musical. Depois vieram as trilhas sonoras de "Happy-Go-Lucky" (2008), "Another Year" (2010, ganhando Gary uma nomeação como Melhor Compositor do Prémio Europeu de Cinema), da curta-metragem "A Running Jump" (2012) e "Mr Turner" (2014). Este último fez com que Gary ganhasse uma nomeação para um Prémio Ivor Novello, um Prémio ASCAP Composer's Choice, e um Prémio da Academia para a Melhor Trilha Sonora Original.

Gary tem escrito para a rádio BBC desde 1979, sendo que as suas primeiras aparições foram como cantor-compositor.

Desde então, compôs para muitas peças, incluindo “The Odyssey”, “Gawain and the Green Knight”, “The Theban Plays”, “The Winter's Tale”, “The Eve of St Agnes”, “Three Men in a Boat”, bem como para o “Autumn Journal”, vencedor de um Prémio Sony em 2002.

Para a Rádio 3 traduziu e dramatizou a obra de Pushkin, “Ruslan e Lyudmila”, e contribuiu com uma obra nova, “Orwell on Kipling”, para o programa da revista de artes The Verb.

O seu trabalho na Televisão vai desde os dramas policiais (“Trial and Retribution IX & X”), passando por músicas-tema (“The Heritage Game”, “The Good Neighbour Show”), até aos desenhos animados infantis (“James the Cat”, “Painted Tails”, “Ebb and Flo”).

Para a dança, o seu trabalho inclui “Get A Move On” (1994), coreografado por Jonathan Lunn na New Performance Gallery em São Francisco, “Ma Vie En Rose” (2007), coreografado por Ayse Tashkiran, realizado por Pete Harris, no teatro Young Vic, em Londres, e “The Boy in the Striped Pyjamas” (2017) para o Northern Ballet, coreografado por Daniel de Andrade.

Gary organiza e apresenta as pontuações dos Óscares no Barbican Arts Centre, em Londres. Trabalha também como escritor, tradutor, diretor musical e professor.

 

*Fotografia por Manuel Harlan